segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Reflexão para chorar menos depois!

Antonio Nunes de Souza*

Essa observação venho fazendo há bastante tempo, uma vez que, somente fazendo assim, poderemos ver melhoras na nossa intrigante e interesseira política brasileira. Infelizmente não temos o poder de alcançar todas as camadas do povo, para colocar em suas mentes que, rigorosamente, os absurdos se repetem nas administrações e legislações municipais, graças a falta de reflexões, estudos, análises, colhimento de informações sobre suas qualificações, verificação de comportamentos anteriores e, para aqueles que se candidatam pela primeira vez, tudo isso seja feito também. Pois, essa “estória” que os ‘novos” vão resolver as questões e carências é velhíssima. Eles entram como novos, nada fazem e se tornam velhos corruptos ou inoperantes!

Não quero com isso dizer que a culpa é estritamente do povo, mas, sinceramente, quem coloca os políticos em suas cadeiras são os votos populares e, consequentemente, é por essa via que eles conseguem suas cadeiras e seus poderes. Parece até que nas épocas de eleições, todos se tornam ingênuos ou querem ser sabidos demais, acreditam que serão beneficiados com empregos, cargos para familiares e outras promessas enganosas que são repetidas nessas épocas!

Pensem, reflitam, valorizem os seus votos, escolha os melhores, nunca deixe de votar e, em última instância, vote até no menos pior, mas, participe da política, pois ela está enraizada em todos nós sejam quais forem as crenças, cores e condições sociais!

Vamos aproveitar a operação “Lava Jato” e fazer uma varredura geral nos “come dormem” das câmaras de vereadores e, principalmente, não votar naqueles administradores que no passado nada fizeram e ainda são considerados fichas manchadas, sujas ou imundas, brigando na nossa “capenga” justiça para serem absorvidos!
Com esses cuidados, certamente vamos todos chorar menos depois e, quem sabe, minimizar o número de pulhas corruptos que, em seus berços esplêndidos, comandam, vergonhosamente, o nosso país!

*Escritor – Membro da Academia Grapiúna de Letras – AGRAL – antonioodaagral26@hotmail.com

domingo, 28 de agosto de 2016

Será que um dia serei Rei?

                                       Antonio Nunes de Souza*

Quem sou eu pra ser um rei,
E talvez jamais serei,
Pois não tenho principado.
Poderia construir um maravilhoso,
Se não fosse tão oneroso,
Para minha princesa se eu fosse amado.

Teria forças pra lutar por esse ideal,
As torres do meu castelo seriam de cristal,
Brilhando pra minha princesa querida.
A amaria manhã, tardes, noites e dias,
Afagado por suas mãos macias,
Até o fim da minha vida.

Será que isso poderá ser viável?
Ou continuarei um solitário miserável,
Em busca dessa arisca princesa?
Mas, se ela ceder um pouco,
Acho que ficarei louco,
Feliz sem nenhuma tristeza!

*Escritor – Membro da Academia Grapiúna de Letras – AGRAL – antoniodaagral26@hotmail.com

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Inesperado acontece!

Antonio Nunes de Souza*

Você acredita em destinos traçados?
Assim como existe uma vertente imensa que crê piamente, a outra metade não acredita e acha que nós é que decidimos as coisas que devem acontecer em nossas vidas. Essa divisão, faz com que tenhamos sempre algumas discussões nas conversas com os amigos, querendo cada um dar os seus pontos de vistas, com convicções que estão certíssimos. Isso, por mais que seja algo discutível, faz com que sejamos diferentes, tenhamos ideias diferenciadas, e a rotina da mesmice não desponte em nossos encontros sociais ou políticos!
Essa diferença de correntes, creditícias ou não, cada dia que passa vai desbancando alguém ou dando motivos para que alguém diga cheio de orgulho: Eu não disse que iria acontecer dessa forma? Fala essa sentença dando sorrisos de escárnios e gozações! Já a outra parte, pra não ficar por baixo, diz que foi uma puta coincidência e que as pessoas envolvidas forçaram a barra para acontecer!
O fato é que, muitas vezes fatos inesperados acontecem, nos surpreendendo muitíssimo e, por mais que pareça algo impossível, termina nos condicionando de tal forma, que terminamos aceitando de pés juntos que nossos destinos já foram traçados e devemos cumpri-los fielmente!
Para ilustrar o que estou dizendo, vou dar um depoimento da minha própria vida, que deu uma guinada de milhões de graus que, por mais que me dissessem, jamais acreditaria ocorrer.

Tenho hoje 32 anos, concluí a faculdade de fisioterapia com 23 anos e, como na época não consegui um emprego que fosse bem remunerada e um lugar aprazível para trabalhar na minha área, por influência de uma amiga, comecei a trabalhar vendendo produtos de beleza a domicílio, fazendo com que andasse bastante como exercício, como também conhecesse milhares de pessoas com suas vaidades e seus problemas do cotidiano. A comissão era grande e dava-me uma renda mensal muito boa, oferecendo uma condição de vida bem sucedida e próspera, além da liberdade patronal. O casamento nunca foi a minha pretensão maior, gostava de ser livre, fazer meus programas eventuais, escolher bem meus parceiros ficantes, sempre colocando como primordial a qualidade e não a quantidade.

Um dia visitando uma médica ortopedista, tão jovem quanto eu, como bonita também, que tornou-se uma ótima cliente, semanalmente chamando-me para fazer pedidos. Sintetizando, ela era lésbica e terminou dizendo que estava apaixonada por mim. Assustou-me de início, pois nunca tinha nem pensado nessa possibilidade em minha vida, como nunca tinha passado pela minha mente que um dia poderia acontecer. Pois, sinceramente, aconteceu! Cedi aos seus encantos, experimentei da fruta e, sinceramente ADOREI!
Resultado: Hoje temos uma Clínica de Traumatologia e Fisioterapia onde trabalhamos juntas com o maior sucesso, nossas famílias acatam nossa união, pensamos em oficializar um casamento e, em breve, adotar uma criança para dar mais felicidades ao nosso lar!

Para ser mais sincera, em meus pensamentos sempre passam as perguntas: Será que foi o destino traçado? Será que foi uma coincidência? Será que fui eu que provoquei que acontecesse? O fato é que, mesmo cheia de dúvidas, sou uma mulher super feliz!

*Escritor – Membro da Academia Grapiúna de Letras –AGRAL – antoniodaagral26@hotmail.com