segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Ajuda inesquecível!

Antonio Nunes de Souza*

Sentado na beira da piscina da minha boa casa, embaixo de uma sobrinha bem grande que me protege do sol diretamente, com meus 56 anos de idade, passei a recordar o duro filho da puta que dei para conseguir esse status de classe A!
Estou pensando isso porque, de família paupérrima, comecei com subempregos, “faz tudo” em minha cidade Arco Verde-PE., vim para a Bahia com 16 anos e, continuando com minha vida dedicada a trabalhar seja no que fosse, fui instalando pequenos negócios que pareciam ridículos e sem futuros, até que um dia, animado por amigos, resolvi ir, num “pau de arrara” numa excursão a Bom Jesus da Lapa!

O caminhão ia carregado de romeiros, mas, com certeza a maior carga estava em minha cabeça, cheio de esperanças e fé, contando com a “ajuda inesquecível” que tanto precisava e merecia, pela minha vida pacata e frequentador assíduo das missas dominicais!
Então, depois de acompanhar as romarias, ajoelhar-me pedindo fervorosamente e com lágrimas nos olhos um “empurrãozinho” nas minhas modestas experiências de micro empreendedor, juro que senti algo tomar conta de mim, como se fosse um assentimento, ou atendimento das minhas orações.

Voltei a cabeça e, de longe, vislumbrei o grande quadro de Bom Jesus da Lapa que ornamento todos esses anos a minha casa, como se fosse (e é, com certeza) meu anjo da guarda e protetor eterno!).
Procurei aumentar minha garra, trabalhar fortemente e, graças a Deus e meu bondoso Bom Jesus da Lapa, hoje desfruto de um vida estável, boa, até invejável certo ponto!
Na verdade, não só acreditei na bondade santificada, como também lutei muito pelo meus sonhos e ideais, acreditando em mim como um guerreiro fui a luta e, finalmente venci. Tenho uma transportadora com quarenta caminhões (carretas e baús) viajando pelo Brasil a fora, tenho um casal de filhos formados e casados que, seguindo meu exemplo, me ajudam na administração empresarial.

Curiosamente, nesses trinta e cinco anos passados, perdi o contato com os companheiros de viagem da Romaria e, sinceramente, gostaria de saber se eles também foram abençoados!
De tudo isso, o importante é que se reconheça que, grande parte desse vertiginoso crescimento, foi fruto da minha luta para realizar meus sonhos, jamais fiquei parado dizendo “que era impossível” esperando que as coisas caíssem do céu!

*Escritor – Membro da Academia Grapiúna de Letra – AGRAL – antoniodaagral26@hotmail.com

Sexo e suas nuances!

Antonio Nunes de Souza*

Tem certas atitudes que geralmente fazem parte da juventude masculina, mas, devemos também creditar tais comportamentos as meninas, mesmo em menor quantidade, mas, com certo peso na escala comparativa!
Pesquisas feitas e estatisticamente comprovadas, os jovens só desenvolvem os seus conhecimentos sexuais, nas escolas com os colegas mais espertos e mais velhos, tendo porém uma fatia representativa e vasta que, sozinhos, olhando escondidos a noite as relações sexuais entre os pais ou parentes e, por incrível que pareça, se masturbam, chegando ao orgasmo. E, se adaptam tanto a esse comportamento que, torna-se comum até olhar suas irmãs ou irmãos enquanto tomam banho e desfrutam do mesmo desejo sexual através de manipulação!

Isso poderia até ser considerado uma aberração, mas, esse comportamento, deve-se exatamente a falta de educação e informações nas escolas, através de professores especializados, como também e evidentemente, de uma boa e objetiva educação doméstica que compete aos pais!

Importante, mesmo já estando enraizados tais costumes, é de grande valia que os educadores escolares e domésticos, tenham cuidados, uns com explicações e esclarecimentos e os outros com mais cuidados quando praticarem suas deliciosas noites de amor, pois, pode parecer que são ainda crianças, mas, na verdade seus libidos já estão aflorando normalmente!

Em muitos casos de estupros familiares ou com estranhos, as pessoas envolvidas tiveram essa experiência de espionagem sexual terminando em orgasmo. Passaram a encarar a relação sexual normal com quem quer que seja, desde que satisfaça seus instintos. Vamos abrir mais os olhos, fechar mais as pernas reservadamente e, muito importante, conversar claramente sobre como se deve comportar durante as intimidades sexuais, na ocasião devida, com estilo, qualidade e sem as raias dos exageros!

Com nossos descuidos, lamentavelmente, criamos pessoas, que trazem dentro de suas mentes, desejos condenáveis e constrangedores!

*Escritor – Membro da Academia Grapiúna de Letras – AGRAL – antoniodaagral26@hotmail.com

domingo, 4 de dezembro de 2016

Minha fé!

Antonio Nunes de Souza!

Domingo meio nublado, com o sol dando suas modestas aparições, sempre encoberto pelas cinzentas nuvens que, a qualquer momento, poderão cair em forma de chuva!
Como bom religioso, praticante fiel e comportado da igreja evangélica, mesmo sem ser um dos devotos fanáticos e fervorosos, que veem nos pastores, verdadeiros Ministro de Deus, detentores de poderes sempre acima da normalidade! Sou praticante, mas, sempre com um pé na frente e outro atrás, levando em conta as ladainhas costumeiras pela metade, ou muitas vezes, bem menos que isso!
Optei por essa religião ou crença, há uns dois anos atrás, já com 37 anos de idade, deixando de lado a minha criação dentro do catolicismo, pois, com cautela, pude observar que todas as vertentes religiosas cultuam Deus como figura central e, todas elas, adoram fazer suas arrecadações financeiras, sempre com as alegações colocando na frente o nome de Jesus.
Mas, na verdade, os resultados são os seguinte: Os pecadores com seus medos esperam ganhar o céu, o Espírito Santo ganha almas mais purificadas e os bispos, pastores, padres, frades, rabinos e outros ministros ganham a grana que arrecadam que, na verdade, é a alavanca para uma constante continuidade! E, por incrível que possa parecer, os evangélicos são muito mais benevolentes nos retornos dados aos seus fiéis. Achei nisso um grande ponto favorável!

Então, para não ficar um homem sem religião, fiz minha opção, já li e reli a Bíblia algumas vezes, tirei algumas dúvidas da cabeça, também coloquei outras e vou levando, fazendo minhas análises, do comportamental das diversas vertentes “evangélicas”, sendo que já descobri umas dezenas delas, que atuam nas mãos de verdadeiros picaretas semi ou analfabetos, que abusam da ignorância e desespero de uma fatia grande do povo! Sendo esse um grande erro das igrejas mais organizadas em não fiscalizarem, fazerem denúncias, para amenizar essas quadrilhas de sanguessugas nas comunidades, principalmente nas mais pobres e que tem uma fatia maior de idosos!

Andando para o meu culto, fiz essa análise pelo caminho, que demostrou minha racionalidade, aplicando as palavras de Jesus: “Daí a Cezar o que é de Cézar!” E é o que estou fazendo, ou seja, dando razão a quem tem razão e merece o nosso respeito!

*Escritor – Membro da Academia Grapiúna de Letras – AGRAL – antoniodaagarl26@hotmail.com